21 de julho de 2010

Listeria: ela existe...



Grávida de 14 semanas, praticamente ultrapassados os enjôos e a fase crítica, sabendo já que à partida seria um menino, comecei com febres que mal cediam ao paracetamol. Ao final de 3 dias com a febre cada vez mais alta, a conselho da médica dirigi-me às urgências de obstetrícia do S. Francisco Xavier onde me fizeram análises. O resultado foi plaquetas muito em baixo e um índice de infecção elevadíssimo. O bebé estava optimo. Mandaram-me para as urgências gerais, onde me fizeram mais análises e RX ao torax e resolveram manter-me nessa noite em observação. Ao final do dia comecei com perdas de sangue, contracções esporádicas que depois se tornaram regulares e assim estive essa noite e o dia seguinte, em repouso absoluto e sempre seguida por uma equipe de médicos e enfermeiros fantástica. Fui vista e avaliada por vários médicos, sempre a darem-me updates sobre a evolução das minhas análises mas sempre sem resposta sobre o que realmente se passava. Ao final do dia as contracções pioraram e acabei por perder o bebé e fazer uma curetagem.

Depois da curetagem fiquei duas noites nos cuidados intensivos, sempre a melhorar, a febre não voltou nem tive mais dores e os níveis das análises começaram a normalizar. Ao fim dessas duas noites passei para os cuidados intermédios, onde me disseram que tinham encontrado a bactéria Listeria no meu sangue, que provavelmente esta se teria alojado no feto provocando um chamado síndroma de Hellp de origem infecciosa. Ao que percebi no síndroma de Hellp há algo que faz com que o bebé ataque o sistema imunitário da mãe (neste caso seria a tal bactéria), pondo-a doente e podendo levar desde à morte fetal ou até a consequências piores. No meu caso ou a bactéria ou o síndrome atacaram-me o fígado, que entretanto também está a melhorar.

Ontem, depois de 3 noites nos cuidados intermédios, passei para uma enfermaria. As análises já estão todas normais, mas como esta bactéria para além de rara é muito perigosa, o antibiótico é muito específico e tem de ser levado de forma rígida até ao fim. E são mais 6 dias de antibiotico intravenoso de 4 em 4 horas, pelo que não posso sair antes de 3ª ou 4ª da semana que vem.

No meio disto tudo eu estou bem, a fazer o luto desta perda longe da minha família (tirando as horas de visitas que agora são mais alargadas), que é o que mais me custa. Apetece-me apertar os meus filhotes, ouvir as vozes deles e receber os beijinhos deles, mas as unidades em que estive até agora não permitiam (nem eu queria) visitas de crianças. Agora parece que vou poder combinar com a enfermeira chefe uma visita fora do quarto, vai ser bom! De resto, a vida continua e é preciso olhar para a frente. O que não nos mata torna-nos mais fortes... e eu tenho muito a que me agarrar quando me sinto a ir abaixo.

A Maria Café, coitada, ficou para segundo plano. Estive 3 dias sem acesso a comunicações, mas desde então tenho respondido aos e-mails. As encomendas, que continuam a entrar, serão respondidas por ordem de chegada quando eu voltar a casa, daqui a uma semana. Prometo tentar "aviar" tudo o mais depressa possível. Agradeço a vossa paciência...

Grávidas: cuidado com queijos de pasta mole (brie, camembert, queijos azuis), carne e vegetais mal cozinhados, saladas e fruta mal lavados, enlatados... não misturem comida crua com comida cozinhada, aqueçam bem a comida cozinhada que ficou no frigorífico, lavem bem as facas e tábuas de cortar legumes e carne. Não facilitem, não relaxem...

Mais informação sobre a listeriose:
http://www.medic8.com/healthguide/articles/listeria.html (em inglês)
Podem procurar no google por listeria ou listeriose, existe bastante informação.

3 comentários:

MJ disse...

Sou leitora do blog e não podia deixar passar este post sem deixar um abraço! É como diz e bem, tem que se arragar ás coisas boas que tem!
Força!

Kláudinha disse...

querida amiga, fico muito triste ainda só de pensar no azar que te aconteceu, estou aqui para o que precisares, gosto muito de ti
1 beijinho gigante

Anónimo disse...

Queria dizer que tambem tive listeria...mas depois de muita luta (5 meses na UTI) ela conseguiu sobreviver...

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...