15 de agosto de 2012

Balanço de férias - I

Quase duas semanas de praia... praia de manhã, almoço, sesta (para alguns), praia à tarde, banhos, jantar, cafézinho e caipirinha para uns, carrinhos de choque para outros. É uma rotina que não me cansa, a bem da verdade. Era capaz de me habituar a isto...


Como eu, o João, meu filho mais velho, era capaz de se habituar a viver na praia! O rapaz passou tanto tempo dentro de água, estivesse ela fria ou quente, com ondas ou mar chão, maré cheia ou maré vazia, que cheguei a ter medo que ficasse com infiltrações nos ossos ou que lhe crescessem barbatanas entre os dedos. Mas não, isso não aconteceu. De manhã, se não acordava por ele, bastava eu murmurar-lhe ao ouvido "vamos para a praia?" que em 5 minutos estava prontinho, pequeno almoço tomado, fato de banho vestido, à porta de casa. E o bronze? Mesmo com creme factor 50+ e vários "vai para a sombra, põe o boné!", o rapaz está com um bronze invejável. Nunca ficou nem um bocadinho vermelho, foi sempre carregando aquele tom castanho lindo.


O Zé já é outra história... acordá-lo de manhã era um castigo. Tínhamos literalmente que o levantar e pô-lo em pé porque ele dizia, dengoso: "esta cama é muito quentinha, eu não conxigo me levantar...". Com 4 anos e meio ia de carrinho para a praia (1km da porta de casa até ao nosso toldo) porque a meio caminho dizia que não conseguia andar mais... mas enfim, o carrinho até dava jeito para pendurar o sacão com as toalhas e tralhas todas. Chegava à praia e evitava ir à beira-mar com medo que o obrigássemos a tomar banho (não fazemos isso, claro!) e ao fim de menos de uma semana já dizia, enfadado: "mas quando é que vamos embora do Ógarve? Eu já estou farto!" Enfim... nos últimos dias o mar pôs-se quente e "chão", com ondas pequeninas que não rebentam, e o rapaz descobriu as delícias dos banhos prolongados, dos mergulhos, de boiar nas ondas ("com baxadeias"). Também ele está com um tom douradinho, menos bronzeado porque tem um fototipo mais claro, mas sempre muito protegido do sol.



O Miguel é outro patinho, como o João. Pelo menos nesta idade. Adorava estar sentadinho à beira-mar e quando as ondas teimavam em não chegar a ele punha-se a refilar e a chamá-las. Os outros faziam piscininhas para ele se molhar e ele delirava. Até dentro de água, ao colo, ria-se nervoso à medida que eu o ia molhando e, se nos primeiros dias se agarrava a mim de unhas cravadas, no fim já ficava só agarrado pelos braços a bater os pézinhos todo contente. O dormir é que foi um bocadinho dramático... as sestas eram uma questão de sorte, ou pegava a dormir 3 horas seguidas ou então nem pregava olho. À noite adormecia logo a seguir ao jantar, mas várias vezes acordava passado um bocado e era um vê se te avias para o pôr a dormir quando nos íamos deitar. Estranhou a cama, a casa, a rotina... andou de colo em colo porque "coitadinho, já está há tanto tempo no ovinho..." e não tinha grande alternativa porque não gatinha e se o sentamos no chão acaba por cair de cabeça, se o deitamos num tapete rebola até chegar onde não deve.




O regresso, que antecipámos dois dias por causa do trabalho, foi uma alegria para eles: voltar aos brinquedos deles, à caminha "super-confortável" (lá dormiam em colchões de espuma no chão), aos confortos da nossa casinha! Chegámos à noite e a carinha do João, quando se deitou na cama, dizia tudo: as férias foram boas, mas agora estou feliz! No dia a seguir, quando se levantou, chegou à cozinha e disse-me: "Ai, mãe... estou tão contente que nem sei com que brinquedo vou brincar primeiro!"

0 comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...