30 de abril de 2013

Coisas assustadoras que eles nos dizem...

Hoje uma grande amiga minha partilhou no facebook este artigo com testemunhos de pais sobre as coisas mais assustadoras que os filhos já lhes disseram. Fartei-me de rir e, tal como qualquer pai, revi-me em alguns dos testemunhos. Com 3 filhos já ouvi algumas frases absolutamente aterradoras vindas das bocas destas pessoínhas de palmo e meio.

O meu filho mais velho, também por ser o mais velho, tem algumas pérolas... por exemplo, desde pequenino que tem uma panca por Audis. O avô tinha um Audi quando ele nasceu, ele tem uma adoração pelo avô desde que nasceu, vai daí cada vez que via um Audi na rua apontava e dizia "Bô". Mais tarde dizia "Ódi Bô". E já várias vezes nos tentou persuadir a comprar um Audi, com pouco sucesso, mas enfim...

Aqui há uns dois ou três anos, numa das várias viagens escola-casa, depois de mais uma conversa sobre comprar ou não um Audi porque nos cruzámos com um belíssimo exemplar da marca, diz-me o seguinte: "Mãe... se a mãe tiver um acidente e o carro (skoda velhinho...) ficar todo partidinho, podemos comprar um Audi?" Imaginei-o a pesquisar como é que havia de o sabotar para provocar um acidente que mandasse o carro para a sucata (e a mim para nem quero pensar onde...)!

Outra "gira" foi que a certa altura, na fase do medo do escuro, dizia que durante a noite andava uma menina pela casa que só ele é que via. Esta nunca tentámos aprofundar porque eu fico arrepiada só de pensar... é demasiado "à 6º sentido"! Passou-lhe com o tempo (acho eu, mas tenho medo de perguntar)!

O do meio até agora nunca se saiu com nada do género, mas estamos à espera... o mais novo, a avaliar pelo feitio que tem, nem vai avisar! Avança logo para o terrorismo!

E vocês, que frases arrepiantes é que já ouviram da boca dos vossos filhos?


28 de abril de 2013

Ajudar: Todos por Um (Porto) e 4D&Friends

Eu sei que já falei nisto. Várias vezes... e, felizmente e infelizmente, vou continuar a falar. Infelizmente porque, sempre que tiver de falar sobre isto, é porque alguém precisa de ajuda. E, a maior parte das vezes, é uma criança que precisa de ajuda. E é uma ajuda que não se resolve com um cheque, ou uma doação de brinquedos ou roupa ou comida... será porque uma pessoa, uma criança, precisa de um bem que não se arranja assim ao virar da esquina: saúde.

Felizmente vou continuar a falar disto porque, quando surge um caso destes (neste caso estou a falar do Rodrigo), há sempre uma grande mobilização das pessoas para ajudarem no que podem e conseguem. Organizam-se colheitas de sangue e de amostras para o banco de dadores de medula óssea e há uma grande divulgação dessas acções. Ainda há pouco tempo, quando o caso do Rodrigo começou a ser divulgado, houve uma dessas colheitas junto à escola do meu filho do meio. E na véspera dessa acção, apesar de toda a divulgação que a escola, a freguesia, as lojas locais, etc fizeram, ele, de 4 anos, veio com o recado: "A mãe amanhã tem de ir ali ao pé da minha escola e dizer para lhe tirarem um bocadinho de sangue para ajudar um menino que se chama Rodrigo." Bem que eu gostava de poder, mas enfim...

Mas por vezes a procura de um dador compatível não é suficiente nem ele é encontrado suficientemente depressa. E os tratamentos que normalmente se vão fazendo enquanto se espera pelo dador e pela hipótese de cura umas vezes funcionam, outras não. E é o que está a acontecer com o Rodrigo: os tratamentos disponíveis em Portugal não estão a funcionar, e enquanto se procura um dador compatível ninguém quer baixar os braços. E um grupo de bloggers juntou-se e organizou um evento para angariar fundos para que o Rodrigo possa ir ao estrangeiro em busca de alternativas. O evento, o Todos por Um, realizou-se em Lisboa no dia 20 de Abril e foi um sucesso! Foi uma venda de artigos doados por várias pessoas, crafters, empresas, etc (a Maria Café contribuiu com algumas peças), onde houve também uma unidade de colheita de sangue e inscrições de potenciais dadores e uma série de actividades para crianças e adultos.

E no dia 5 de Maio, de hoje a uma semana, o evento vai acontecer no Porto, nos mesmos moldes. Vou enviar novamente algumas peças, na esperança de poder ajudar um bocadinho. E vou torcer para que o problema do Rodrigo, e de todos os meninos e meninas como o Rodrigo que, infelizmente, vão ficando doentes e que precisam de transplante de medula e tratamentos caros, encontre uma solução bem depressa!


No dia 4 de Maio, em Coimbra, há uma Feirinha de pais & filhos, organizada pela blogger Sofia Arriaga do blog A vida a 4D (http://www.avidaa4d.blogspot.pt/). Este evento, o 4D & Friends, que tem um cariz solidário, reúne uma série de marcas de artigos e serviços para bebé, criança e adulto. A Maria Café vai lá estar a ensinar a usar o sling e a dar dicas e tirar dúvidas aos pais. A 4D&Friends juntou-se ao Instituto Português do Sangue e vai haver uma unidade de recolha de sangue e de inscrições de potenciais dadores de medula no evento. Boa!!!! Tudo aqui.



Só mais uma coisa... tenho sentido, em conversa com amigos e familiares, alguma falta de informação sobre o que é isso de ser potencial dador de medula e que riscos tem. Como eu própria não consegui explicar bem em que consiste o procedimento de recolha de medula (no caso de se ser compatível com alguém que precise), fiz alguma pesquisa e aqui vai:
- Para a inscrição no banco de potenciais dadores basta uma pequena amostra de sangue, como se tira para fazer análises. Nada mais simples, certo? Há algumas condicionantes para se poder ser dador mas toda a informação está aqui
- O procedimento de recolha de medula para transplante não tem riscos para o dador nem implica punções lombares ou outras operações do género. Transcrevendo o que está no link que dei acima:

Existem dois processos de colheita de células para transplantação de medula:
  • Colheita a partir da medula óssea - Células progenitoras colhidas do interior dos ossos pélvicos. Requer geralmente anestesia geral e uma breve hospitalização;
  • Colheita de células progenitoras periféricas - Colheita feita no sangue periférico, geralmente a partir de uma veia do braço, através de um processo chamado aférese, em que o dador tem de tomar previamente um medicamento que é um factor de crescimento que vai fazer aumentar a produção e circulação de células progenitoras no sangue periférico.

Portanto, se não está inscrito como potencial dador de medula, reúne as condições para o ser e é do norte ou centro, aproveite o fim de semana de 4 e 5 e inscreva-se. Se já está inscrito ou não reúne as condições, apareça, ajude, divulgue os eventos entre a família e os amigos. Se não é do norte ou centro, informe-se junto do Centro de Histocompatibilidade da sua zona sobre a melhor forma de se inscrever como dador.

Nota final: ainda me hão-de explicar porque é que não são elegíveis como dadores pessoas que tenham recebido transfusões de sangue ou derivados depois de 1980... Então vejamos:
- O sangue e derivados anteriores a 1980 eram garantidamente bons e testados? parece-me que não!
- O sangue e derivados posteriores a 1980 representam um maior risco do que os mesmos produtos anteriores a essa data? duvido!
- Quando é feita uma dádiva (de sangue ou medula), ela não é testada para doenças infecciosas e potenciais riscos para a saúde de quem vai recebê-la? espero bem que sim!
Deve haver uma razão, acredito que sim. Mas depois de ter recebido uma transfusão de plaquetas contactei o Instituto Português do Sangue no sentido de saber se podia continuar a dar sangue regularmente e se a minha inscrição como potencial dadora de medula ainda servia... responderam-me que não, porque a minha transfusão foi posterior a 1980 por isso o meu sangue e medula já não prestam. Sem qualquer justificação, nem estapafúrdia nem plausível. Não presta. Ponto! Se alguém me puder explicar, agradeço.

23 de abril de 2013

Cor, muita Cor!!!!

Nos últimos tempos tenho tido várias oportunidades de contactar pessoalmente com clientes e potenciais clientes. Tenho tido sempre um feedback muito positivo, o que me enche de orgulho e satisfação porque justifica todo o meu trabalho e dedicação. A Maria Café existe há quase 5 anos, mas depois de um longo período em que me dedicava a ela no turno da noite, há cerca de dois anos que é a minha ocupação principal. Por isso ouvir e ler o que tenho ouvido e lido é um estímulo para continuar a criar, a trabalhar e a dedicar o meu tempo a este projecto.

Há, no entanto, uma "reclamação" que tenho tido com frequência: é difícil escolher os tecidos porque as opções são muitas e todas muito giras! Lá está uma reclamação boa de ouvir! É claro que o facto de disponibilizar tantas opções me complica um bocadinho a vida também, porque tenho de ter stock de muitos tecidos diferentes, de repente um acaba e lá tenho eu de ir comprar mais, a organização e arrumação dos tecidos é um caos, etc. Mas a verdade é que para mim é importante chegar a toda a gente e ter opções para todos... há as que gostam de padrões mais clássicos, as que gostam de coisas mais malucas, as que não se importam de usar flores com rapazes (eu!), as que mesmo tendo uma menina querem um padrão unisexo porque o menino ainda pode vir, as que fazem questão de ter tudo cor-de-rosa, as que querem combinar o sling com o quarto do bebé, etc, etc... e eu só posso chegar a todas com muita variedade de escolha!







Nas vendas em que tenho participado (Mercadito da Carlota e Lisbon Kids Market) há um comentário à minha banca que também tenho ouvido com frequência: Maria Café é cor! E é verdade, eu gosto de cores! Gosto dos tons pastel, mas não gosto de me limitar por eles. Sei que estão na moda, e tenho várias opções em tons claros, mas são os coloridos que acabam por atrair mais as pessoas (e a mim também). Quando ando em busca de novos tecidos, sou atraída pelos mais coloridos, que podem combinar com tons neutros, escuros ou fortes, lisos ou estampados, dependendo do estilo de quem vai usar. E assim vou chegando a todos os gostos...

Estou satisfeita, portanto. Com a certeza de que vou acrescentando alguma coisa na vida das pessoas, nem que seja um bocadinho de cor e alegria! E vocês, são mais para os pasteis (não de nata) ou para os tons vibrantes?




22 de abril de 2013

Mercadito da Carlota - Porto

Foi (mais) um SUCESSO!!!
A Fernanda Ferreira Velez está de parabéns, mais uma vez! Organizou mais um evento em grande, num espaço espectacular, com marcas fantásticas de fazer qualquer um perder a cabeça. Ontem foi um dia em cheio, com um rodopio constante de pessoas, casais, famílias com crianças crescidas, bebés ao colo e em carrinhos (e em slings!), crianças pequenas, avós, tias, etc... Logo a partir das 10h da manhã começou a entrar gente, ainda nós estávamos a acabar de arrumar a banca. Houve muita afluência até por volta das 13h, como é normal, mas mesmo durante a hora de almoço houve muita animação e movimento. À tarde voltou a encher, mas o espaço era optimo e estava muito bem organizado, por isso a circulação de pessoas, crianças e carrinhos fez-se sempre com razoável facilidade. E, mais uma vez, a Fernanda organizou um evento de cariz solidário que vai ajudar muitas crianças que precisam!

Eu não tive mãos a medir durante todo o dia, a explicar como se coloca o sling, as várias posições possíveis, as grandes vantagens deste objecto super útil, a tirar medidas e mostrar tamanhos, padrões, possibilidades... os babetes, fitas para chucha, porta-documentos, porta-toalhitas, etc voaram ao longo do dia, tal como os slings, claro!


Foi muito bom ouvir os elogios, os parabéns e as palavras encorajadoras de toda a gente que passou na Maria Café. Foi perceber que, mais uma vez, houve muita gente que foi ao evento também para me ver e conhecer.

A grande "reclamação"que ouvi foi que tenho "muita variedade e é tudo tão bonito que é difícil escolher"... bom de ouvir! A segunda grande reclamação é que há mais coisas para menina do que para menino. É verdade, há muito mais tecidos para menina do que para menino, o que logo à partida me limita muito a criatividade. É assim em tudo, entramos numa loja de roupa para criança e um terço é roupa para rapaz banal, o resto são peças lindas para menina. Tenho 3 rapazes e sinto isso constantemente. Mesmo assim, tentei levar muitas alternativas para rapaz, mas foram as primeiras peças a desaparecer e a meio do dia já tinha poucas opções unisexo. Ando sempre à procura de tecidos novos e giros para rapaz, por isso estejam atentas que eles vão aparecendo.

Foi lindo ver pessoas com slings meus, mais uma vez! Adoro! Vi um pai com um sling super especial regulável e todo preto, encomendado na semana passada, que andava lá a passear o seu bebé. Olhem só a foto que me mandaram:


Faz lembrar uma outra foto que andou a circular na net, não faz? ;-)

Nestes eventos tenho pena de não poder visitar o espaço e ver cada marca e os artigos lindos que trazem. Mas não consigo largar a minha mesa por muito tempo, por isso o que vejo é de fugida. Já vou conhecendo algumas expositoras que têm estado nos outros eventos, e desta vez fiquei costas-com-costas com a Tânia da Use Me e gostei imenso de conhece-la. Podem seguir o facebook aqui.

E daqui a duas semanas vou estar em Coimbra, com a blogger 4D, no evento que está a organizar, o 4D & Friends. Mães do Centro, aproveitem porque as marcas presentes são todas lindas de morrer!!!! E aproveitem também, se ainda não o fizeram, para se inscrever como potenciais dadores de medula óssea!

Vão seguindo a Maria Café aqui.



19 de abril de 2013

Cada venda é como se fosse a primeira...

Este domingo, dia 21 de Abril, lá vou eu montar a banca novamente.

A primeira banca que a Maria Café montou foi no evento Barrigas de Amor, em julho de 2010. Foi uma experiência muito enriquecedora, mas desde então a evolução foi astronómica. É importante referir que na altura tinha um emprego durante o dia, por isso o tempo que dedicava à Maria Café era contado ao minuto. O esforço para preparar tudo para este evento foi fora do normal, tive de tirar férias e tudo! Mas valeu muito a pena, quanto mais não fosse porque foi a primeira oportunidade que tive de contactar pessoalmente com as minhas queridas freguesas e potenciais freguesas, de ouvir o seu valioso feedback, de sentir o ambiente de uma feirinha e de perceber mais ou menos o que as pessoas procuram neste segmento. Já então houve muitas pessoas que foram à procura da Maria Café na feirinha, o que me encheu de orgulho!



Por questões estratégicas não voltei a participar nesse evento, mas em 2012 o convite da Fernanda Ferreira Velez para participar na primeira edição do Mercadito da Carlota foi recebido com um redondo SIM! Quando ela me falou da ideia, num cafézinho que tomámos lá para em Outubro ou Novembro, achei logo que tinha tudo a ver, e encorajei-a a seguir em frente. E os dias que antecederam este primeiro evento foram de muito (mas mesmo muito) trabalho, de muita expectativa e nervosismo, de muita preparação. O resultado foi fenomenal, adorei o contacto directo com as pessoas e no final do dia, para além de não sentir as pernas e de ter uma dor de costas para além do suportável, tinha o coração cheio com os elogios e incentivos que ouvi de quem passou pela minha banca. Podem ler mais sobre esse dia aqui.



Seguiu-se o Mercadito da Carlota - Páscoa, a 17 de Março. Mais umas semanas de preparação e muito stress, para poder levar novidades e muita variedade. Um SUCESSO!!!! De tal maneira que excedeu toda e qualquer expectativa. A sério... foi brutal! Adorei, tive um feedback de toda a gente muito especial, uma organização 5 estrelas e há que ter em conta que por detrás deste evento estava uma pessoa - mais uma vez a Fernanda Ferreira Velez.


Logo a seguir, o Lisbon Kids Market, organizado pela Filipa Cortez Faria e pela Dot Global, um evento com marcas nacionais e internacionais. Mais uma banca montada, semanas de preparação para dois dias de contacto com o público, um feedback muito positivo e recompensador.


E agora, a terceira edição do Mercadito da Carlota, desta vez no Porto. Na última edição tive muita gente a perguntar quando ia ao Porto. A Fernanda também teve muitos pedidos, por isso resolveu organizar o mercadito no Norte. E as semanas de antecipação e preparação voltaram a acontecer. Fazer stock, criar peças novas, imaginar o que as pessoas vão querer. É sempre um desafio, é sempre um stress, e a expectativa é enorme, mas tem sido sempre muito recompensador. Desconfio que vai ficar mais uma vez acima das expectativas! O maior desafio é: será que vou conseguir ter tudo pronto a tempo? Acreditam que ainda tenho coisas para acabar para levar? É assim a vida, até ao lavar dos cestos é vindima... e lá vou eu, com os nervos em franja!

Em breve venho contar-vos como correu... se são do norte, não se esqueçam de aparecer e de levar um dos bens essencias que estão a solicitar, para ajudar a Associação Novo Futuro, Casas de Gaia. Confiram a lista abaixo.





18 de abril de 2013

Hoje nasceu um bebé Maria Café

Nasceu. Mais um sobrinho, um de muitos, mas mais uma vez um muito especial. Especial porque é oitavo filho, especial porque é um rapaz depois de 4 meninas seguidas, especial porque é o 13º neto da Avó Zinha, especial porque acompanhei de muito perto toda a gestação.

Nasceu hoje de madrugada, depois de um parto difícil (quem diria que ao oitavo filho os partos ainda são difíceis...), com quase 4 kgs e com cara de bebé de 1 mês! A sério, vejam só estas bochechas, esta boquinha, o queixinho igual ao da tia (eu), que já o herdou da Avó Pi. Os olhos não tive oportunidade de ver porque o rapaz nasceu cansado (e não é caso para menos, que isto de nascer custa!) e esteve sempre a dormir durante a visita. Mas são lindos certamente!



A mãe é uma heroína... 8 gravidezes, 8 partos normais, 8 crianças lindas e bem formadas, com valores! Esta é uma família que desafia as estatísticas, as expectativas, a normalidade. Que vive com o que há, sem luxos ou grandes extras. E tenho um orgulho imenso por fazerem parte da minha família!

Nota: queria deixar um agradecimento especial à Maya, da Kali Jade Photography, que se dispôs a dar uma pequena (grande) ajuda no tratamento das fotos que tirei. Podem seguir o facebook aqui.

E podem ir seguindo a Maria Café aqui.

17 de abril de 2013

Todos por um... nunca é demais falar sobre isto

Dá-me um nó na garganta de cada vez que vejo nas redes sociais apelos à doação de medula porque alguém está doente e procura um dador compatível. E esse nó é mais apertado ainda quando essa pessoa é uma criança. É um nó quase egoísta, porque me custa imaginar um dos meus filhos nessa situação. Não sei o que faria com esse sentimento de impotência perante o sofrimento de um filho.

Têm sido muitos os casos de crianças e jovens nessa situação e, sempre que posso, partilho o apelo para que mais pessoas se inscrevam como potenciais dadores de medula. Estou inscrita, mas infelizmente nunca vou poder ser dadora, por isso a minha contribuição passa essencialmente pela partilha.

O caso do Rodrigo, o menino de 3 anos e meio que sofre de uma leucemia que tem sido resistente aos tratamentos mais agressivos de quimioterapia, tem-me tocado muito. Uma mãe ouvir do médico que o filho vai ter alta, não por estar bem, mas porque não há mais nada a fazer é revoltante... uma mãe, mesmo perante este prognóstico, tem sempre mais alguma coisa a fazer, e a mãe do Rodrigo arregaçou as mangas e anda à procura de alternativas, nomeadamente no estrangeiro. Para poder levar lá o Rodrigo (e com urgência, claro), uma data de gente mobilizou-se para angariar fundos e financiar a viagem e o tratamento. E neste sábado, dia 20 de Abril, das 10h 18h, vai haver um evento, o "Todos por um", na Escola Superior de Saúde, da Cruz Vermelha Portuguesa. Podem saber mais sobre esse evento aqui.

Já tenho um pacote de artigos Maria Café embalados para enviar amanhã. Vou estar fora no fim de semana, mas a minha contribuição segue por correio. Apareçam lá, comprem, contribuam porque as receitas totais desta venda vão ser para levar o Rodrigo ao tratamento de que ele precisa. Partilhem, divulguem este evento, apelem a mais pessoas para lá irem.

15 de abril de 2013

Mercadito da Carlota já no Domingo...

A data aproxima-se a passos largos, os preparativos são mais que muitos e a expectativa é cada vez maior. O Mercadito da Carlota, evento de grande sucesso que já teve duas edições em Lisboa, vai ao Porto deliciar as mães do norte.

Já vos disse, é no Hotel Sheraton, na Av. da Boavista. O hotel tem parque de estacionamento, o que facilita muito. Podem ver aqui mais pormenores práticos sobre o evento. O que vos queria deixar era a lista de bens essenciais que podem levar para contribuir para a Associação Novo Futuro - Casas de Gaia. Porque a entrada é gratuita, mas são todos convidados a oferecer algo da lista:


A Maria Café estará lá à vossa espera, com muitas novidades.

Vão seguindo as novidades aqui.

11 de abril de 2013

O norte já merecia uma visita!

As mães lá de cima pediram e eu vou. Ponderei algumas hipóteses, e acabei por escolher aquela com que mais me identifico: o Mercadito da Carlota. Depois do sucesso que foram as duas primeiras edições deste evento, a Fernanda resolveu levar as marcas da Carlota rumo a norte e a Maria Café aproveitou a viagem.

No dia 21, no Hotel Sheraton do Porto, monto a banca e espero por vocês. Das 10h às 19h. Prometo levar muitos slings,  babetes, porta-chuchas, bolsinhas, porta-chaves, porta-toalhitas e algumas novidades. Tudo com os padrões que já conhecem, alguns padrões novos, muita cor e alegria. 

Se alguém quiser que leve uma peça específica ou sling (sem compromisso) para ver e experimentar, é dizer por mensagem privada ou e-mail (mariacafe@mariacafe.pt). 

Lá vos espero!
Entretanto vão seguindo a Maria Café aqui.


10 de abril de 2013

Sobre o tempo...

Não é da primavera chuvosa e das recentes promessas de sol e calor que vos venho falar... não. Por muito farta que esteja de botas, casacos e cachecóis, não é esse género de tempo que me apetece dissecar hoje.

É mais do tempo que passa... do tempo que passou desde o meu último post (em Dezembro, vergonha!!!!) até hoje. Um tempo que passou (e passa) a correr, que não pára nem que eu lhe implore, que faz com que as horas me fujam e os dias, as semanas e os meses vão atrás, numa velocidade frenética que não dá tréguas. É verdade... foi antes do Natal e já passou a Páscoa e eu nada, aqui em silêncio no meu cantinho.

Mas não estive quieta, desenganem-se! Bem, se me acompanham pelo Facebook devem saber que lancei algumas novidades, muitos tecidos novos para slings, fiz passatempos com marcas amigas, a página cresceu exponencialmente (estou quase com 27.000 seguidores), estive no Mercadito da Carlota da Páscoa (o último post tinha sido sobre o Mercadito de Natal), no Lisbon Kids Market e vou estar daqui a uma semana e meia no Mercadito da Carlota - Porto, no Hotel Sheraton. Não! Não estive parada, não estive de férias, não emigrei.

Mercadito da Carlota - Páscoa

Estive a trabalhar, a trabalhar muito. A receber as vossas encomendas, a geri-las, fabricá-las, empacotá-las e expedi-las. A renovar stocks de tecidos, a procurar novos padrões e novas combinações, a fotografar, tratar fotografias e fazer montagens para vos mostrar. A criar novas peças, novas soluções para problemas que me surgem a mim, a amigas, a seguidoras e que pedem uma peça "assim e assado", com um fim específico que tento cumprir. A responder a e-mail, mensagens, pedidos diversos que requerem respostas personalizadas, que também me levam tempo. E muito mais, tudo isto muito concentradinho entre as 9h30 e as 17h, nos dias de semana.








Alguns dos artigos criados e lançados entretanto



E estive a cuidar dos miúdos, a ir buscá-los à escola a horas decentes, a acompanhá-los e entretê-los nas férias de Natal, Carnaval e Páscoa... Afinal esse era desde sempre um dos principais objectivos, e é uma das coisas que me dá maior gozo!





Os miúdos... 

E comecei a correr (quer dizer, fui correr 3 vezes, depois começou a chuva e pus em stand-by), pela manhã, junto ao mar. Eu que sempre detestei correr, resolvi calçar os ténis e fazer-me ao paredão. E soube-me bem! Só não me viciei (ainda) porque, lá está, o raio da chuva trocou-me as voltas. Mas lá chegarei!


A mãe a correr e o filho de bicicleta, no primeiro dia de primavera! 

No meio de tanta tarefa e ocupação, alguma coisa tinha de ficar para trás... e o blog ficou aqui, parado. Não esquecido, que de cada vez que leio um novo post noutro blog penso: "Que vergonha, o meu blog está parado!" Mas falta-me tempo! Tento (com pouco sucesso) não estar no computador quando os miúdos estão comigo, e quando não estão eu estou no atelier a trabalhar. Por isso vou adiando o próximo post, que até já está alinhavado em pensamento mas que teima em não passar para as teclas. E as horas vão passando, atrás delas os dias, as semanas, os meses! Até hoje!

Isto para vos dizer que voltei ao blog. Resolvi finalmente acordá-lo e pô-lo a mexer (não lhe vou calças os ténis também, mas quase). E vou tentar (tentar...) ir escrevendo e publicando, nem que seja só uma frasezinha ou uma foto, de vez em quando.

Sigam-me!
O facebook da Maria Café é aqui.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...