11 de maio de 2013

A Família

Há-as para todos os gostos: grandes, pequenas, tradicionais, modernas, unidas, nem tanto...
A minha é das grandes e, em parte por causa disso, temos poucas oportunidades de nos juntar todos. No Natal batemos recordes, é certo, mas há sempre festejos dispersos, netos que nesse ano estão com a família do cônjuge, etc, e acabamos por nos ficar por metade. É que os meus avós paternos tiveram 8 filhos, têm 28 netos e nasceu há uma semana o 50º bisneto. A juntar a esta gente toda, há os maridos e mulheres dos  filhos e netos, que têm a paciência de nos aturar e, a maior parte da vezes, não conseguem saber os nomes de todos os tios, quanto mais de todos os primos e filhos dos primos.

Considero que, apesar de haver primos que vejo muito poucas vezes (alguns nem sequer uma vez por ano), somos uma família unida. Com diferenças, com questões e discussões (ou não fôssemos uma família), mas muito amor e união. A verdade é que a  família não se escolhe, está no sangue. E esse laço só pode ser muito mais forte do que qualquer amizade, é impossível de quebrar!

E de vez em quando há uma mente brilhante que se lembra de reunir o pessoal e celebrar este bem enorme que é a Família. Houve uma reunião há mais de 10 anos, um mega pic-nic que punha a um canto qualquer evento social, tal era a multidão. Depois, uns anos mais tarde, quando o meu Avô fez 90 anos houve um grande jantar.

 Monteiro Fernandes em 2002 - já então éramos muitos

Os 90 anos do Avô António, em 2003

E este ano uma das netas mais novas teve a ideia e lançou o desafio de juntar o maior número possível de MF's, para festejar os 100 anos do nascimento do Avô António. No dia 1 de Maio aconteceu o evento, que juntou fisicamente 98 pessoas, entre a Avó Pi (com  98 anos), os 7 filhos e respectivos, e a maior parte dos 28 netos, respectivos e filhos. Há 4 netos (e famílias) a viver no estrangeiro, mas mesmo assim conseguimos falar por skype com 3 deles e até a minha avó se levantou para os saudar entusiasticamente.
Monteiro Fernandes em 2013 - vê-se bem como a família cresceu

A falar com um dos emigrantes, que transmitiu,
 para quem não sabia ainda, a chegada para Setembro de mais um bebé

Foi um dia fantástico, com muita comida, muita brincadeira, num local perfeito com campo de futebol, parque infantil, salão para o pic-nic e igreja, onde no final foi celebrada a missa, presidida por um dos netos, o Padre Bernardo. Julgo que durante todo o dia ouvi ao longe o Jazz que o meu Avô tanto gostava de ouvir e, em certas alturas, até o ouvi a tocar piano.

0 comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...